quinta-feira, 1 de setembro de 2016


Me inquieta ver o passado
Me inquieta acompanhar o presente
Me inquieta VIVER

Os muros sempre falam
as feridas e as fraturas
ex-postas
se entrepõe
à sobrevivência
diária
O ar é denso
de desilusão

Vi ter um vazio aí
E essa verdade
Vai encharcar o tempo
De saudade

Oh bruta flor
nem sabe o que quer
Algum dia
o jogo viraria
Não foi pra onde eu mirei

Mas continuo no campo de batalha
Estudando possibilidades




2 comentários:

Leitor e leitora, dê sua opinião, recado etc aqui!