sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

descarta (Mário Cavalcanti)


tinha comprado vinho branco
perfume francês
imagino o assento dos bancos
choro de saudade
lixo as unhas pra fica melhor
me lembro dos sonhos
fujo pra velha bahia
esquartejando bifes

vou crescendo sangue contra-fome
uso a borracha do adeus
meu
diagonizo
não não bebo não
aponto o lápis
descrevo o desembarque
e esqueço

(Isso, 2012)

volta em aberto (P. Leminski)


        Ambígua volta
em torno da ambígua ida 
      quantas ambiguidades
se pode cometer na vida ?
        Quem parte leva um jeito 
de quem traz a alma torta.
         Quem bate mais na porta?
Quem parte ou quem torna?


(Distraídos venceremos, 1987)


Poesia hidráulica


Hoje peguei um objeto
Raro
Foi o raio do teu verso
em pleno céu azulejado
que me fez reencontrá-lo

Esfera - gráfica
(quase) abandonada
pelas teclas que automáticas
querem me roubar a identidade
e a conta (mas vou contra)
corrente

De fato é indispensável
esta excreção manual
de tinta expressiva
descarga de vida
moldura de um eu que não se apaga
fôrma onde acomodo sentimentos
na falta de versão mais adequada

dos usos e desusos que se confundem com seus fins,
com seus seres e não seres
diga-me como fazes...
e te direi ainda
que à poesia nada escapa,
e que mais do que fachada,
esta ali o que há em mim.



segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Asas moduladas



 Hoje acordei e tinhas ido embora,
Caro Joe
De asas moduladas
Sonoras potentes
De sonhos de outrora

Foi daqueles que irrompe
E perene se (en) torna
Foi daqueles que ainda é
e nem tivemos tempo de atravessar a costa naquele velho automóvel

E nem tivemos tempo de querer porque ainda não sei
como vai ser
tudo o que tem sido, você sabe
para nos manter vivos

Mas o seu timbre ao cair da noite
Relembra-me de mim
Ao que vim
E de um poder que ecoa
Pelos peitos, estradas, casas de qualquer ser
Infindo verdadeiro
Invisível mas explícito
 Pedaços de alma de energia que voam de ti
Para além do dentro e fora,
Do hoje e do amanhã
Campo magnético que ninguém tateia
Mas que molda sentidos e existências...